Tipos de conhecimento

01. Comente a seguinte afirmação, analisando as implicações positivas contidas na mesma, para o processo educacional:

“A filosofia da educação, objetiva contribuir com a construção de uma base teórico-conceitual que dê sustentação à ação docente”.

02. Caracterize o saber filosófico, o saber científico e saber de senso comum;

A educação, sobretudo no Brasil, teve uma história conturbada de lutas com vitórias e derrotas. Até hoje ainda não se tem uma educação como realmente deveria ser. As primeiras conquistas dentro da educação já foram fruto de reflexões de pessoas que ousaram sonhar, ousaram refletir, ousaram filosofar.  E a filosofia, sem dúvida, veio para tornar ação docente mais segura, mais eficaz, com vista a construir uma sociedade mais justa e solidária.

Existem vários de conhecimentos, entre eles estão o saber filosófico, o saber científico e o saber de senso comum:

CONHECIMENTO FILOSÓFICO

Valorativo – seu ponto de partida consiste em hipóteses, que não poderão ser submetidas à observação. As hipóteses filosóficas baseiam-se na experiência e não na experimentação.

Não verificável – os enunciados das hipóteses filosóficas não podem ser confirmados nem refutados.

Racional – consiste num conjunto de enunciados logicamente correlacionados.

Sistemático – suas hipóteses e enunciados visam a uma representação coerente da realidade estudada, numa tentativa de apreendê-la em sua totalidade.

Infalível e exato – suas hipóteses e postulados não são submetidos ao decisivo teste da observação, experimentação.

A filosofia encontra-se sempre à procura do que é mais geral, interessando-se pela formulação de uma concepção unificada e unificante do universo. Para tanto, procura responder às grandes indagações do espírito humano, buscando até leis mais universais que englobem e harmonizem as conclusões da ciência.

.

CONHECIMENTO CIENTÍFICO

Real, factual – lida com ocorrências, fatos, isto é, toda forma de existência que se manifesta de algum modo.

Contingente – suas proposições ou hipóteses têm a sua veracidade ou falsidade conhecida através da experimentação e não pela razão, como ocorre no conhecimento filosófico.

Sistemático – saber ordenado logicamente, formando um sistema de idéias (teoria) e não conhecimentos dispersos e desconexos.

Verificável – as hipóteses que não podem ser comprovadas não pertencem ao âmbito da ciência.

Falível – em virtude de não ser definitivo, absoluto ou final.

Aproximadamente exato – novas proposições e o desenvolvimento de novas técnicas podem reformular o acervo de teoria existente.

CONHECIMENTO POPULAR

Superficial – conforma-se com a aparência, com aquilo que se pode comprovar simplesmente estando junto das coisas.

Sensitivo – referente a vivências, estados de ânimo e emoções da vida diária.

Subjetivo – é o próprio sujeito que organiza suas experiências e conhecimentos.

Assistemático – a organização da experiência não visa a uma sistematização das ideais, nem da forma de adquiri-las nem na tentativa de validá-las.

Acrítico – verdadeiros ou não, a pretensão de que esses conhecimentos o sejam não se manifesta sempre de uma forma crítica.

Professor: Marcos Suendel

Anúncios
Esse post foi publicado em Filosofia da educação e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s